Av. Fernando Arens, 281 - Jundiaí - SP 11 99665-5536 11 4526-8389

Risco de incêndio: como influência nas medidas de proteção

Risco de incêndio: como influência nas medidas de proteção

Confira

Em uma situação de emergência de incêndio, as medidas de proteção são tomadas de acordo com o risco de incêndio de cada ocasião. Por isso, entender o risco de incêndio de cada caso pode ajudar a deixar você preparado para esta situação de perigo.

Tudo isso também interfere na definição do uso de equipamentos e produtos para proteção contra incêndios. Essa situação pode acontecer em momentos rotineiros do nosso dia a dia, seja dentro de imóveis residenciais ou comerciais.

Porém, atos simples como ligar um eletrodoméstico pode causar alguns riscos invisíveis que, se não estivermos atentos, causam sérios danos e até incêndios.

Continue a leitura para saber quais são os riscos e em qual deles é o que tem na sua construção.

Risco de incêndio
A importância dos equipamentos de proteção contra incêndios
Nós vivemos em constante exposição a simples riscos à nossa saúde. Normalmente eles são imperceptíveis, visto que já estão inseridos em nossa rotina, mas é importante sempre ficar atento aos mínimos detalhes.

Desta forma, entender o funcionamento dos equipamentos de proteção contra incêndio é muito importante. Isso ajuda, inclusive, a compreender como começam a maioria dos incêndios.

No começo do incêndio, a identificação do perigo é dificultada, visto que a fumaça e o fogo são pouco visíveis. Portanto, se o fogo for contido nessa etapa, ele não consegue se propagar e causar maiores danos. O ideal, nesse caso, é ter equipamentos corretos que consigam detectar este princípio de incêndio.

Caso ele não seja identificado, o fogo aumenta em proporção e temperatura, visto que ele procura equipamentos combustíveis para se manter aceso.

Quanto mais o tempo passa, o risco de incêndio aumenta e o fogo fica mais difícil de ser controlado. Mas, mesmo assim, medidas conseguem ser adotadas para diminuir os prejuízos.

Só depois de consumir todos os combustíveis próximos que ocorre a combustão total e é aí que o fogo se torna incontrolável. Nesta última fase a perda material e possivelmente de vidas é maior e o incêndio só acaba quando o combustível para consumir também termina.

É claro que não é a intenção de ninguém que a sua construção chegue nesse último estágio em um incêndio. Desta forma, garantir que seu empreendimento esteja equipado com todos os itens necessários para proteção contra incêndio é fundamental.

Risco de incêndio
A classificação de risco de incêndio e suas medidas de proteção
Um aviso importante antes de seguir o texto: essa classificação não significa que você pode abrir mão das medidas de proteção contra incêndio. Isso é apenas uma orientação dos cuidados que você precisa tomar para evitar danos à sua propriedade e aqueles que estão nela.

Essa classificação muda de acordo com as construções e podem ser divididas entre: Risco Leve, Risco Médio e Risco Elevado.

A definição do risco de incêndio é feita a partir de um cálculo que leva em conta a soma das energias caloríficas que podem surgir com a quantidade de combustível presente no local.

Isso leva em conta todos os itens inflamáveis que podem estar presentes em toda a construção, incluindo revestimentos das paredes, pisos e tetos.

Desta forma, quanto mais itens inflamáveis, o risco de incêndio aumenta. Ter essa noção ajuda a prevenir, utilizando os equipamentos mais adequados, na quantidade e posições corretas.

O ideal é seguir as orientações para manter a segurança do prédio e de qualquer um que se encontre nele. Entenda melhor cada risco:

Risco de incêndio
Risco leve
Em geral, estas edificações não possuem muito combustível no seu interior ou revestimento. Os mais comuns a serem qualificados neste ponto são edificações Residenciais, Prédios Públicos, Escolas, Comércios, Microempresas, Empresas de pequeno porte e Microempreendedores Individuais.

No entanto, fica uma ressalva para a categoria de comércios. O importante é analisar caso a caso para ter certeza que o risco de incêndio é realmente leve. Um profissional ou empresa especializada é o mais indicado neste caso, pois ele ajuda a definir a classificação.

Exemplo disso é um comerciante de bebidas destiladas, que possui um estoque de bebidas alcoólicas e combustíveis ao seu redor, colocando um risco alto na loja. Diferente de um comerciante de ferro, que tem um risco menor.

O ideal é analisar individualmente os casos para ter certeza que está aplicando as medidas de proteção de incêndio adequadas.

Além disso, muitos dos prédios considerados como risco de incêndio leve são usados para reunião de pessoas, como escolas e áreas residenciais.

Os riscos podem ser baixos, mas caso o fogo aconteça ele pode gerar caos, tumulto, perda material e até mesmo mortes.

Risco médio
Construções nesta categoria possuem algum material combustível, mas não o suficiente para criar um acidente grande. Os donos destes locais devem investir em medidas de proteção mais rígidas para garantir sua segurança.

Normalmente se enquadram como risco médio os hospitais e laboratórios; edifícios garagens; comércios e indústrias

Risco de incêndio
Risco alto
Estas são as que precisam de medidas protetivas contra incêndio extremamente bem planejadas desde a obra. A quantidade de equipamentos de combate a incêndio devem ser maiores, devido os riscos serem maiores.

Dentre estas construções podemos destacar os comércios, indústrias, mistas e especiais.

Depois de saber o risco de incêndio que uma construção possui, é chegado o momento de adequá-la para ter a melhor proteção possível. Para isso, você precisará de equipamentos de proteção e procedimentos adequados.

Entre em contato com a Combat Fire, especialista em projetos de combate a incêndio e outros assuntos relacionados ao tema. Clique aqui para falar com a gente.



Gostou? compartilhe!

Whatsapp COMBATFIRE Whatsapp COMBATFIRE